10 dicas para melhorar o clima organizacional agora mesmo!

Melhorar o clima organizacional nem sempre é uma tarefa fácil para gestores e líderes, apesar de ser algo completamente necessário. Para ajudar a sua empresa, apontamos tipos de clima organizacional e trouxemos 10 táticas que podem fazer a diferença. Confira!

Melhorar clima organizacional

Para melhorar o clima organizacional na sua empresa, você precisa reconhecer trabalhos bem feitos e aprender a gerenciar conflitos antes de mais nada. Fazer pesquisas e ouvir a opinião dos colaboradores também pode ajudar, entre outras ações.

Nós sabemos que a busca por melhora preocupa muitos líderes e gestores mundo afora. Não à toa: uma evolução da própria empresa também provoca mudanças positivas no comportamento de seus colaboradores e na produtividade e rentabilidade de cada um.

Pensando em ajudar, trouxemos 10 dicas práticas para a transformação do dia a dia dos seus negócios e das suas equipes. Elas são ações que, inclusive, geram excelentes resultados financeiros no fim das contas. Confira!

O que é clima organizacional?

O clima organizacional nada mais é do que a atmosfera de uma empresa, fator que reflete na maneira como as pessoas que trabalham dentro dela se sentem fazendo parte do time.

Ele tem relação com as ações praticadas pelos departamentos financeiro e de RH, por gestores e responsáveis pelo negócio e tais ações influenciam na percepção dos funcionários a respeito da companhia.

Sabe quando a propaganda diz que uma organização preza pela diversidade, mas, na prática, ela nunca nem contratou pessoas de outras cores, gêneros e culturas? Esse é um exemplo de ação que impacta negativamente no clima organizacional.

Quando as ações não condizem com o discurso dentro de uma empresa, sua equipe acaba ficando desmotivada, o rendimento cai e aumenta até mesmo o nível de demissões, gerando um alto índice turnover.

Portanto, todas as decisões tomadas por seus líderes impactam os profissionais de maneira negativa ou positiva e vão moldar a percepção dos colaboradores sobre o local de trabalho.

Vale ressaltar que cultura organizacional não é a mesma coisa que clima organizacional, como você lerá logo em seguida.

Diferença entre cultura e clima organizacional

É importante não confundir cultura organizacional com clima organizacional.

A cultura tem relação com as visões e os valores da empresa e é compartilhada por todos os funcionários, passando de geração em geração.

Ela pode mudar depois de anos ou décadas a partir das novidades nas exigências dos consumidores e também na forma como o mundo se comporta, mas se mantém estável por bastante tempo, uma vez que está definida.

Já o clima depende dos envolvidos no cotidiano dos negócios para ser melhor ou pior. Portanto, não é estável como a cultura e pode ser monitorado, analisado e modificado em períodos mais curtos.

Vários aspectos contribuem para deixar o clima organizacional melhor ou pior em uma empresa e todos, sem exceção, precisam estar na mira dos gestores o tempo todo.

Conheça os principais a seguir e aproveite para descobrir um pouco mais sobre cada tipo de clima: bom, médio ou ruim.

Tipos de clima organizacional

Existem três tipos de clima nas empresas: bom, médio e ruim. Leia um pouco mais sobre cada um deles e descubra em qual a sua organização se encaixa atualmente.

Clima organizacional bom

Como você deve imaginar, o clima organizacional bom é o cenário ideal e existe quando a empresa oferece um ambiente agradável para seus funcionários trabalharem.

Funcionários felizes trabalham com prazer por se sentirem parte do time e não "vestem a camisa" de forma forçada, mas porque querem.

Além disso, em períodos de recrutamento e seleção nos quais são localizados profissionais com o perfil ideal para as vagas disponíveis, mesmo que eles tenham outras propostas de outros lugares, certamente levarão em consideração o clima organizacional e poderão definir suas escolhas com base nesse indicador.

Esse tipo de clima atrai e retém colaboradores de alto nível que sabem que serão valorizados e se sentirão bem durante todo o expediente.

Um profissional que atua em uma empresa com bom clima organizacional é mais engajado e produtivo e se esforça para estar sempre alinhado à essência da empresa. Ele entende que é parte fundamental do sucesso do negócio.

Podemos dizer que as vantagens de um clima organizacional bom são:

  • atração e retenção de talentos;
  • aumento da motivação e do engajamento;
  • comunicação eficaz e objetiva;
  • melhoria da imagem da empresa no mercado;
  • redução de custos com demissões e admissões; e
  • redução da rotatividade e do absenteísmo no trabalho.

Se o seu negócio se encaixa nessas descrições, só pode estar no caminho certo!

Clima organizacional médio

É o clima organizacional considerado "mais ou menos": nem tão bom, mas também nem tão ruim e que geralmente leva a maioria dos funcionários a trabalharem mais por obrigação do que pela felicidade de pertencerem ao time.

Quando os ares de uma empresa são medianos, seus colaboradores chegam e saem do trabalho com uma ideia de “tanto faz” porque não se sentem motivados o suficiente. Isso diminui a produtividade e praticamente extermina a partilha de ideias e a criatividade.

A própria empresa se acomoda com os resultados e toda sua equipe acaba indo na mesma onda de "só fazer o básico". Assim, o dia a dia não é nota 10, mas também não é um 5. É 7.

Como identificar o clima organizacional médio?

Em empresas com esse tipo de clima, geralmente os funcionários dependem da cobrança direta de seus superiores para entregarem as tarefas e quase não têm aquele espírito de equipe. Sem contar que:

  • chegam atrasados com mais frequência;
  • faltam mais vezes e podem apresentar histórico crescente de ausências;
  • interagem pouco ou nada entre eles;
  • demonstram desinteresse pelos compromissos profissionais.

Aqui, a empresa também começa a sentir efeitos negativos e pode experimentar resultados inferiores aos esperados.

O clima organizacional médio é perigoso para os seus negócios e, num piscar de olhos, ele pode se tornar realmente ruim. Então, cuidado e busque formas de melhorar!

Começar colocando em prática ideias motivacionais pode ser um bom ponto de partida para reverter esse quadro.

Clima organizacional ruim

Por fim, o clima organizacional ruim é aquele que ninguém quer para uma empresa. Aqui, a situação já está próxima do caos (esperamos que não seja o seu caso!).

Ele fica evidente quando os níveis de insatisfação dos colaboradores estão altos, os pedidos de demissão são mais frequentes, aumentam as faltas e os atrasos e existe falta de comunicação entre os líderes e suas equipes. Também pode impactar na imagem da empresa no mercado.

Nesse cenário, o ambiente está tão desfavorável que os funcionários que ainda trabalham na companhia só não saíram dela porque ainda não encontraram outra oportunidade.

A rotatividade de pessoas nas vagas, portanto, é enorme! O que reduz a produtividade da empresa e prejudica os resultados.

Um negócio que chega nesse nível precisa criar um plano mais profundo de ações para melhorar o clima organizacional.

Como melhorar o clima organizacional?

Agora que você já consegue identificar os tipos de climas, pode buscar melhorá-lo sempre, independentemente de a sua empresa estar em um momento bom, médio ou ruim.

Veja as dicas valiosas que preparamos para você! Elas servem para todos os casos, inclusive para ótimos cenários. Afinal, nunca podemos parar de alimentar o clima favorável!

Vamos lá.

1.  Reconheça trabalhos bem feitos

O mais legal dessa ação é que você não precisa fazer grandes investimentos: basta adotar uma postura de valorizar quando o profissional tem uma boa ideia, resolve um problema ou conquista algo.

Uma dica para dar relevância aos trabalhos bem feitos é criar um programa de funcionário do mês.

Você já deve ter ouvido alguém dizer que "na hora das críticas, ninguém esquece, mas, na hora do reconhecimento, todo mundo desaparece", né? Então, evite esse tipo de comportamento.

Mostre o quanto você reconhece o esforço e a dedicação dos colaboradores. Isso faz muita diferença no clima da empresa.

2.  Saiba gerenciar conflitos

É impossível existir uma equipe que não tenha discordâncias em algum momento. Por isso, estude e aprenda a fazer uma boa gestão de conflitos.

Para manter uma convivência mais tranquila entre seus funcionários:

  • mantenha uma comunicação transparente;
  • estabeleça regras com clareza;
  • transmita o regimento interno da empresa e esclareça dúvidas sobre ele; e
  • seja imparcial e empático(a) em todas as situações.

Lembre-se: desentendimentos existem quando lidamos com pessoas e não adianta querer que seja diferente, mas vale a pena administrá-los!

3.  Contribua para o equilíbrio entre vida pessoal e profissional

Nenhum funcionário gosta de se sentir preso ao trabalho e sem liberdade de poder fazer algumas tarefas paralelas ou até mesmo de negociar folgas e horários.

O fato é que as pessoas têm uma vida além do trabalho e, para fazê-la acontecer, precisam do mínimo de flexibilidade por parte de seus empregadores.

Então, seja aquele gestor ou aquela gestora que se interessa verdadeiramente em contribuir com o equilíbrio entre vida profissional e pessoal do time.

Uma pesquisa encomendada pelo LinkedIn em 2022 mostrou que:

  • 78% dos profissionais entrevistados afirmam que a pandemia fez com que passassem a querer ou precisar de mais flexibilidade no trabalho.
  • 30% deixaram seus empregos por falta de políticas flexíveis.
  • Quase 40% já consideraram essa possibilidade.

Sua empresa está aberta para fazer diferente, talvez negociar horário flexível ou apostar no trabalho híbrido? Gestos assim têm muito valor para os profissionais.

4.  Faça pesquisas de clima organizacional

Se você não tem certeza sobre como estão os ares por aí atualmente, descubra através de uma pesquisa de clima organizacional.

Ela pode ser tanto um questionário que as pessoas respondem sem precisarem se identificar quanto uma reunião individual ou em grupo para repasse de feedbacks.

De quebra, através da pesquisa, você motiva seus funcionários a permanecerem no time, porque as pessoas adoram ser ouvidas e será dada a elas uma oportunidade de demonstrarem suas insatisfações ou sugerirem melhorias.

5.  Estabeleça metas reais

Pior do que ter um clima mediano porque a empresa se acostumou com metas medianas, é ter um clima em que todo mundo está constantemente sob pressão porque precisa entregar resultados absurdos.

Então, trace metas palpáveis e atingíveis para a sua equipe!

Ao impor metas irreais, que, na verdade, nem podem ser alcançadas, você estará frustrando os colaboradores.

Isso também vale igualmente para premiações no final do ano: não adianta fazer promessas de prêmios por desempenho se as pessoas precisarem "se matar" de tanto trabalhar para conquistá-los.

6.  Ofereça benefícios

Invista em dar aos colaboradores programas de benefícios dos mais variados tipos para mantê-los motivados e felizes e para manter o clima organizacional em sua melhor forma.

Plano de saúde e vale-alimentação não contam, ok? Disponibilizá-los é o básico, para não dizer o mínimo.

Invista em benefícios mais criativos como convênios com clubes e academias e experiências ou recompensas em troca das metas batidas.

Por exemplo: combine com a equipe que, se todo mundo atingir a meta "x" até dia "y", todos ganharão uma sexta-feira de folga. Dessa forma, você motiva o funcionário e aumenta a sua produtividade. Dois problemas resolvidos de uma só vez!

7.  Dê feedbacks

Assim como é importante coletar os feedbacks dos funcionários a respeito da empresa, você deve dar feedbacks para eles também.

Torne isso um hábito e inclua na sua agenda, de tempos em tempos, algumas horinhas para chamar as pessoas individualmente e conversar sobre o desempenho empresarial delas.

É por meio do feedback que você pode reforçar pontos positivos e alertar sobre aquilo que não está tão legal, fazendo críticas construtivas.

Uma grande queixa nas empresas é a de pessoas que são demitidas de repente e sem nenhum sinal de que o corte aconteceria. Sabe por que existe essa sensação? Porque nunca houve nenhum feedback sobre o desempenho daquele profissional, dado diretamente para ele.

Se você não deixar claro o que não está bom, a pessoa não tem como adivinhar e vai estranhar quando uma decisão mais brusca for tomada.

8.  Integre novos funcionários de forma adequada

Jamais deixe um novo funcionário perdido dentro da empresa e sem saber para onde ir ou o que fazer. Já comece do jeito certo:

  1. Realize um processo de integração e fale mais sobre a empresa, missões, visões e valores. Mostre quem é quem e onde fica cada recurso necessário para o cotidiano.
  2. Alinhe expectativas e deixe claro para os recém-chegados o que a organização espera deles.
  3. Prepare os funcionários atuais para receberem bem quem chega, pensando que a chegada surpresa de algum novo colaborador pode surtir efeito negativo no clima organizacional.
  4. Converse especialmente com aqueles profissionais que já têm mais tempo de casa e vão precisar ajustar suas tarefas ou até mesmo horários devido às novas contratações.

Para que o clima se mantenha bom, é importante que ambos os lados estejam prontos para essa novidade a fim de que ninguém fique com dúvidas e desconfianças.

9.  Pense na saúde dos profissionais

Recentemente, a saúde mental foi definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como "um estado de bem-estar em que o indivíduo está ciente de suas próprias habilidades, pode enfrentar as tensões normais da vida, pode trabalhar de forma produtiva e frutífera e é capaz de contribuir com a sua comunidade".

Um clima organizacional ruim não permite que isso aconteça e leva os colaboradores a situações de estresse, ansiedade e depressão ou a desenvolverem outros distúrbios emocionais, como a Síndrome de Burnout.

Além disso, para além do psicológico, existem outras doenças consideradas ocupacionais que também merecem sua atenção. Por exemplo:

  • Lesão por Esforço Repetitivo (LER);
  • Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho (DORT);
  • Surdez desenvolvida a partir da exposição do profissional a ruídos sem uso adequado de proteção.

Preocupe-se em reduzir ou, se possível, evitar tais complicações.

10.  Não seja chefe, mas líder

Um chefe é conhecido pelos colaboradores por trabalhar na base da ameaça, não se comunicar de forma transparente e mandar em vez de pedir. Também costuma apontar culpados para os problemas mais do que tentar encontrar soluções. Desmoraliza e fiscaliza.

Um líder, por outro lado, orienta cada colaborador individualmente e incentiva sua equipe em âmbito coletivo, confiando no que fazem. Além disso, um bom líder:

  • Compartilha conhecimento e assume responsabilidades relacionadas ao seu papel de liderança.
  • Acompanha de perto as tarefas sem parecer um fiscal.
  • São empáticos, competentes e inspiradores e querem um clima exatamente assim para toda a empresa!

Viu quanta coisa você pode começar a fazer agora mesmo para melhorar o clima organizacional na sua empresa? Comece o quanto antes e surpreenda-se com os resultados. Eles vêm a curto, médio e longo prazo.

Sua planilha foi enviada para
seu e-mail.

Caso não receba, lembre-se de conferir o SPAM ou Lixo eletrônico.

O que você achou do post?

1 Resposta

Deixe seu comentário

Ponto eletrônico e Banco de Horas

Pedir demonstração