Centro de Custo: o que é, conceito e exemplos

Você, provavelmente, conhece o termo "centro de custo" como sendo um setor dentro da empresa. No entanto, essa definição é limitada e não compreende o sentido amplo do termo.

O que é centro de custo.

"Centro de custo" é um termo que se encaixa perfeitamente para designar um setor específico dentro de uma empresa.

No entanto, o conceito de centro de custo ao qual nos referimos, neste artigo, é, de fato, a transformação em centros de custos de todos os setores - geradores de lucros e despesas - que compõem uma empresa.

Pense em um Estado do Brasil. Pensou? Agora pense em seus municípios e na relação financeira-econômica deles com o Estado ao qual pertencem. Podemos imaginar que o Estado é uma empresa e que os municípios são os seus centros de custos.

Essa analogia é perfeita para entender o que é centro de custo, pois é exatamente este processo de separação de responsabilidades, receitas e despesas que acontece em um regime de centros de custos dentro nas empresas, sendo ela de pequeno, médio ou de grande porte.

A ideia é que cada setor possa ter mais autonomia, sendo responsável pela equipe, gastos e lucros que geram. E, como na relação estado-municípios, prestam contas à gestão da empresa, também.

É importante notar que os recursos são repassados, de maneira proporcional, pela empresa aos seus setores, periodicamente, e que é de responsabilidade dos centros de custos distribuir corretamente o orçamento destinado. Bem como reverter em lucro uma parcela deste investimento.

Essa divisão é feita para proporcionar a empresa uma melhor gestão financeira, dando aos gestores uma visão profunda e detalhada de para onde está indo os recursos da empresa.

Benefícios da instituição de centros de custos

Veja alguns benefícios da divisão financeira, proporcionada pelos centros de custos, para o seu negócio:

  • Melhora o processo produtivo;
  • Diminui despesas;
  • Faz com que a empresa alcance metas.

Como é possível?

Definindo os setores que compõem uma organização como centros de custos. Ou seja, instituir uma política de centro de custos no negócio torna mais simples para a empresa, como um todo, compreender como todas as atividades são realizadas.

Além disso, é possível descobrir os gargalos financeiros e operacionais de alguns setores, trabalhando na diminuição destes custos para alcançar metas e objetivos.

Centro de custo na prática - um exemplo

Para exemplificar, mostraremos na prática uma situação da separação de responsabilidades operacionais, financeiras e econômicas, proporcionada pelo conceito de centro de custo. O setor escolhido é o de recursos humanos.

O setor de RH não gera, diretamente, receita para empresa e seus custos também são previstos de antemão.

Isso acontece porque o setor de recursos humanos é responsável pela contratação e demissão de colaboradores, trabalhando - entre recrutar e reter talentos - no desenvolvimento do capital humano de uma empresa.

Nesse caso, o RH - como centro de custo - desempenha o papel de pegar uma parcela de recursos direcionada aos setores e investir no desenvolvimento profissional e pessoal dos colaboradores, proporcionando capacitação, treinamentos, palestras e workshops.

Vale notar que um setor com mais funcionários deverá receber recursos proporcionais para administrar bem a equipe, pois, dentre as tarefas financeiras incumbidas no conceito de centro de custos, está o pagamento de salários (despesas administrativas).

Viu só? Considerar os setores como centros de custos que devem prestar contas à empresa pode ser benéfico para a sua corporação. Quem sabe agora que você entendeu o que é centro de custos e percebeu a amplitude do termo, poderá aplicar a estratégia também em sua empresa de maneira mais simples.

Acompanhe o melhor conteúdo sobre
gestão de Recursos Humanos!

Deixe seu e-mail e receba conteúdo para aumentar o seu desempenho na gestão de pessoas!

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário