4 habilidades para fazer gerenciamento de equipe

O gerenciamento de equipes não precisa ser algo complicado. Conheça quatro exemplos de ferramentas e dinâmicas para uma gestão eficiente.

Fazer gerenciamento equipe

O gerenciamento de equipe é o conjunto de atribuições necessárias para que o time alcance determinadas metas, objetivos e tarefas, tais como boa comunicação, avaliação de desempenho, feedback e liderança forte.

O ideal é que essas habilidades sejam desenvolvidas em todos os membros da equipe, devendo ser ainda mais fortes na figura do líder, que precisa conduzir esse time rumo ao objetivo estabelecido.

Por isso, é importante conhecer algumas dessas habilidades dos colaboradores, desde a contratação, pois algumas pessoas têm mais perfil para algumas tarefas do que outras — e colocar cada perfil na vaga certa já é uma excelente dica para uma gestão de times mais eficaz.

4 habilidades e ideias para gestão de equipes

1.  Manter a clareza

A transparência é uma habilidade essencial para o líder: tudo deve estar às claras. Desde os limites de atuação de cada um, o que cada um deve fazer, qual a sua própria função, qual o objetivo a ser alcançado.

Quando todos os membros da equipe sabem exatamente onde chegar e como chegar, as atividades fluem. Saber exatamente qual o problema faz com que surjam soluções criativas e o time se sinta mais à vontade para sugeri-las.

Do contrário, quando há uma bagunça entre informações e pessoas, as soluções dadas não são adequadas ao problema, justamente porque não se sabe qual o problema.

Como já mencionamos no começo do artigo, essa habilidade é essencial para o líder, mas se cada pessoa que forma o time tiver como princípio a transparência, fica ainda mais fácil e o time se respeita.

Na prática, um bom exemplo é a criação de um mural (seja de papel ou por meio de um software especializado), em que se expõe para todos as tarefas de cada um.

2.  Comunicação constante

O gerenciamento de tarefas de equipes voltado para projetos e tarefas não é estático. Como dito anteriormente, saber com clareza qual é o problema proporciona chegar em soluções ideais.

Contudo, no meio do caminho haverá sempre alguma mudança, que pode modificar algum detalhe do objetivo, por exemplo. Nesses caso, a comunicação constante, clara e eficaz é uma habilidade das mais importantes.

Também para os colegas, para que consigam se comunicar entre si, sem depender do líder — e desde que saibam quais os seus limites de atuação. Mas principalmente para o gestor, que será o responsável pelas tomadas de decisão.

Para manter isso sempre em funcionamento, uma boa dica é marcar reuniões constantes para que todos fiquem sabendo de possíveis alterações na rota.

3.  Humildade

Um bom líder (e uma equipe com características de autoliderança) deve sempre se manter humilde.

Isso não significa que ele não deve tomar as decisões, até porque é parte essencial da sua função. E, ao tomar decisão, alguma alternativa será deixada para trás.

A habilidade da humildade é também para considerar novas propostas, sugestões e ideias para a resolução do problema. Às vezes, algum colaborador será quem dará a ideia mais adequada para a solução do projeto.

O líder deverá estimular essa prática, com humildade — o que passa tanto pelo jeito de se comunicar, manter a transparência e os estímulos à criatividade da equipe.

Isso pode ser praticado até mesmo no momento mais tenso, que é optar por um caminho e não pelo outro. Suavizar a maneira como falar é importante, pois demonstra que ele ouviu todas as sugestões, mas optou por aquela que acha melhor. Sem arrogância.

4.  Estar aberto a mudanças

Seguindo os exemplos do item anterior, um gestor que se fecha aos novos rumos que naturalmente surgirão, diminui as chances do problema ser solucionado.

Em outras palavras, permitir algumas práticas diferentes da rotina pode fazer bem no encontro de soluções inusitadas.

Uma boa maneira de visualizar isso, na prática, é dispensar a apresentação de alguns relatórios, se isso estiver bloqueando ou atrapalhando a performance do que realmente deve ser feito.

Às vezes, a entrega desse relatório pode ser dispensada se os seus números puderem ser conhecidos numa daquelas reuniões de follow up, ou seja, para acompanhamento.

Importância do gerenciamento e gestão de equipes

O bom gerenciamento leva a bons resultados. Os líderes e membros de equipe podem ser treinados para algumas dessas habilidades, como a comunicação, produção de reuniões eficazes e inteligência emocional.

O que é mais difícil de mudar é a personalidade e o perfil de cada um desses colaboradores, pois nem toda vaga serve para qualquer um.

Para algumas tarefas, é preciso colocar como responsável pelo projeto pessoas que gostem de pessoas, de trabalho em equipe e que tenham inteligência para encarar as mudanças do caminho.

Então, a boa contratação e os treinamentos frequentes para a equipe são ferramentas importantes que a empresa dispõe, quando objetiva a conquista de resultados e alta performance.

Uma boa gestão de equipes leva a excelentes resultados — e nem é tão a longo prazo assim, não. Os frutos podem começar a ser colhidos o quanto antes.

E você? Tem bons líderes realizando essa tarefa na sua empresa?

Sua planilha foi enviada para
seu e-mail.

Caso não receba, lembre-se de conferir o SPAM ou Lixo eletrônico.

O que você achou do post?

0 Respostas

Deixe seu comentário